Laboratório de Citopatologia

Coordenadora: Dra. Geisilene Russano de Paiva Silva

 

Supervisores:
Seção de Processamento Administrativo: Silvia Fernanda Barraca de Melo
Seção de Processamento Técnico: Luciana Regina Moreira
Seção de Diagnóstico: Fabiana Vianna de Oliveira Casellato

 

Assistência à saúde:

O Laboratório de Citopatologia e Anatomia Patológica exercem duas atividades essenciais dentro da estrutura hospitalar, as atividades diagnóstica e científica.

A atividade diagnóstica esta ligada à concentração de anatomia patológica, disciplina médica em que se estuda lesões encontradas em um paciente, detalhadas em 3 níveis: (1) estudo macroscópico, (2) estudo microscópico e (3) estudos moleculares, usando técnicas especiais como estudo imunoistoquímico. Isso tem por objetivo pesquisar lesões importantes, estabelecer diagnósticos, reunir os critérios de prognóstico e avaliar o efeito dos tratamentos propostos. A citopatologia tem um papel essencial na análise microscópica de citologias cérvico-vaginais e punções aspirativas diversas. Portanto, a atividade do Laboratório é base das condutas terapêuticas e seguimento dos pacientes.

Uma parte importante da atividade esta representada pela prática de exames de congelação, exame feito pelo médico patologista na sala de congelação dentro do centro cirúrgico, durante a intervenção cirúrgica. Esse exame é justificado a cada vez que for susceptível modificar o andamento da intervenção cirúrgica e permitindo ao cirurgião decidir o melhor tratamento possível intra-operatório.

Associado a isso, conta com uma equipe de médicos patologistas, biólogos, citotécnicos, técnicos de laboratório e serviço de secretaria. Além da estreita relação com clínicos, cirurgiões e oncologistas do CAISM, presta assistência aos residentes, estagiários, mestrandos e doutorandos.

 

Pesquisa e desenvolvimento científico:

A atividade de pesquisa é uma consequência natural da atividade diagnóstica. A pesquisa tem o objetivo de avaliar novos métodos de diagnóstico e de tratamento, permitindo aperfeiçoar certas técnicas de rotina e melhorar a exploração diagnóstica e/ou prognóstica.

A revolução tecnológica no âmbito da medicina tem acarretado o desenvolvimento de grandes estudos de “-ômica”, tais quais genômica, proteômica, lipidômica, metabolômica, entre outros. Dentro desse processo, a necessidade por material biológico estocável e de fácil manipulação se torna imprescindível. Para tanto, biobancos são estruturas que conservam fragmentos biológicos, essenciais para garantir um suporte à pesquisa médica, em particular, a essa nova era tecnológica.

O Biobanco do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM-UNICAMP – B056 Registro CONEP), situado, em parte, dentro do próprio Laboratório, compõe essa coleção organizada de material biológico humano constituído por soro, plasma, tecido congelado, tecido fixado em blocos de parafina e líquido amniótico. Todo material é coletado e armazenado para fins de pesquisa, conforme regulamento ou normas técnicas, éticas e operacionais pré-definidas, sob responsabilidade e gerenciamento institucional, sem fins comerciais.
Este biobanco é de extrema importância para o avanço assistencial e científico, uma vez que o espectro de possibilidades de amostras biológicas podem fornecer informações importantes para determinar terapêuticas adequadas. 

 

cito

 

Copyright © 2018 - CAISM/UNICAMP - Todos Direitos Reservados.