A construção de um doutorado profissional em Educação e Saúde

Esta semana é uma das mais importantes na construção do primeiro doutorado profissional com área de concentração em Educação em Saúde. O grupo, que forma atualmente o ‘núcleo duro’ da proposta, esteve reunido durante toda a segunda-feira (23), na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, liderados pelo epidemiologista da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Naomar de Almeida Filho, para os últimos ajustes no documento que será entregue à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), ainda esta semana.

A iniciativa pretende cobrir importante carência na área da Saúde Coletiva que é a formação de quadros profissionais técnicos e científicos na interface da Saúde e Educação. A proposta é interinstitucional e no momento envolve diretamente 17 instituições e duas redes (Prof-Saúde e RENASF). O grupo foi recebido na FCM pelo presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e professor do Departamento de Saúde Coletiva, na unidade, Gastão Wagner. “A Abrasco cumprirá o papel de organização promotora e articuladora da Rede interinstitucional do Programa, divulgando esta “obra aberta” entre seus associados individuais e institucionais, com a finalidade de incorporar parceiros e ampliar adesões”, explicou Gastão.

Naomar explica que a modalidade doutorado profissional se impõe como estratégia de produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias sobre e para o ensino-aprendizagem em Saúde a partir da problematização das práticas hoje envolvidas na formação de profissionais, especialmente no âmbito dos Serviços de Saúde. “Na perspectiva de contribuir para o desenvolvimento do conhecimento no campo do ensino na área da saúde e investir no desenvolvimento das competências docentes e discentes no campo do ensino e da pesquisa, a excelência dessa formação está claramente ligada à possibilidade das unidades acadêmicas e dos serviços se consorciarem para produção, qualificação e difusão de conhecimentos no campo das necessidades em saúde e da educação, promovendo a formação de massa crítica necessária para o fomento da qualidade da educação de profissões de saúde”, explica o documento.

A reunião contou com a participação do professor Guilherme Werneck, do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenador da área Saúde Coletiva junto à Capes. Werneck foi chamado para discutir aspectos relacionados à avaliação de todo o processo junto à Capes. “Esta é uma proposta muito diferente do que no geral recebemos na Capes, por duas razões: é a primeira vez que temos um doutorado profissional e toda a proposta funcionará em rede, envolvendo muitas instituições. Na minha opinião a proposta é bastante interessante, pois traz a dinâmica da interação por rede para mestrado e doutorado, o que contribui para que a avaliação da Capes seja feita por uma comissão externa e não apenas dentro da área da Saúde Coletiva”, disse Guilherme.

Apoio Interinstitucional

Na manhã dessa terça-feira (24), durante a palestra “Estratégias educacionais para formação interdisciplinar e interprofissional, baseada em projetos de intervenção voltados às necessidades da comunidade” proferida por Naomar a um grupo de professores, no Salão Nobre da FCM, o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, assinou um documento que ratifica a intenção da universidade campineira em aderir à proposta de criação dessa modalidade de doutorado.
Atualmente, o Grupo de Trabalho coordenado por Naomar já conta com o apoio da USP, Uerj, Fiocruz, UFPel, UFPB, Unesp, UFPI, UFMA, UFU, Unifesp, UFBA, ECSC e ainda as estrangeiras Universidad Nacional de Lanús, Universidad Nacional de San Martin e Universidad Nacional de Rosario.

Enviado por Camila Delmondes em qua, 25/10/2017 - 08:48

Texto: Vilma Reis (Abrasco)
Colaboração: Camila Delmondes
Fotos: Mercedes Santos e Mario Moreira

 

 

Copyright © 2017 - CAISM/UNICAMP - Todos Direitos Reservados.